Home / Estudos Bíblicos / A Pregação de Paulo – Como ser usado por Deus

A Pregação de Paulo – Como ser usado por Deus

Apóstolo Paulo

O caráter da pregação 1ª Coríntios Cap. 2
Hoje nas igrejas, existem muitos discursos e palavras ensaiadas mas poucas pregações verdadeiras, ótimas oratórias mas pouca unção de Deus, muitos jargões pentecostais e pouco discernimento verdadeiro. Qual perfil de pregador se espera do cristão? Que lições espirituais tem a pregação do apóstolo Paulo?
Paulo pregou em Corinto com humildade. Deus se revela em nossas vidas a partir do momento em que buscamos uma intimidade com o Espírito Santo. Quando declaramos a necessidade pela presença de Deus estamos declarando nossa humildade e é nesse momento que o Espírito Santo começa a agir em nossas vidas, pois não ostentamos cargos, posição social ou nada que faça com que o nosso querer seja maior que a vontade d’Ele. (1 Co 2:1, 3, 7);
 
Paulo não buscava ser grande ou vangloriar-se dos seus feitos mas sim, anunciar Jesus Cristo e sua obra pois Cristo é o Centro (1 Co 2:2). Por muitos anos Paulo, ainda chamado de Saulo, se mostrou imponente e todos os cristãos temiam a presença dele. Ele perseguia, prendia e matava os cristãos por onde passava (At 8:1-3). Depois de seu encontro com Deus onde ficou 3 (três) dias cego, sem comer nem beber (At 9:9), Saulo teve uma mudança radical de postura onde teve seu caráter e sua visão sobre os cristãos totalmente mudada e, a partir dali, se chamava Paulo, e a humildade e o amor deram início a um novo homem e a um novo propósito: Pregar o evangelho à toda criatura.

Como pregar o evangelho

Como pregar o evangelho
A pregação e a palavra que convence o homem não são palavras persuasivas, de ordem ou de natureza humana, mas são palavras vindas do Espírito Santo, que a revela confirmando o anunciado pelo pregador.
Isso não quer dizer que o pregador não deve se preparar com muito estudo da palavra de Deus e esboçando ideias e exemplos como forma de “parábolas” para uma maior compreensão. O preparar é nossa responsabilidade mas a unção que será derramada na vida de quem está ouvindo vem de Deus. Reconhecer e admitir uma total dependência Divina é essencial para o agir de Deus.
“A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. (1 Co 2:4-5)”; “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. (Jo 16:7-8)”
Para ser usado por Deus temos que saber como agradar a Ele também e por isso você pode ler este fantástico estudo de:

Como Agradar a Deus

O pregador tem que falar da sabedoria de Deus, que revela a Sua vontade, e não da sabedoria humana que é facilmente manipulável e mutável. A igreja deve buscar a sabedoria que vem de Deus, do alto, e que não se corrompe com o humanismo e não se muda para uma melhor aceitação. Deus não tem que se adequar à sua vida e sim nós à verdade e aos princípios de Deus.
“Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. (1 Co 2:6,8)”
“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada. (Tg 1:5)”
“Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria. Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa. Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. (Tg 3:13-18)”
Como entender a Bíblia
Como entender a Bíblia
O Apóstolo Paulo mostra claramente que para entender ou conhecer sobre Deus e Sua palavra, dependemos da presença do Espírito Santo e a Sua revelação. Em (1 Co 2:11) diz: “Porque, qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o espírito do homem, que nele está? Assim também ninguém sabe as coisas de Deus, senão o Espírito de Deus.” (Leia também Jo 2:27).
Ao aceitar a Jesus, se recebe o Espírito de Deus, passando a ter mente de Cristo, daí por diante o cristão é guiado pelo Espírito e vive segundo a vontade de Cristo. Em (1 Co 2:12) diz: “Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus.” Isso quer dizer também, que se não recebermos Jesus como único Salvador sobre nossas vidas, não podemos conhecê-lo e nem conhecer o projeto de Deus para nossas vidas. Outro versículo é (1 Co 2:15) que nos afirma também que o discernimento de uma pessoa que está cheia do Espírito Santo é muito grande mas, o de uma pessoa sem o Espírito Santo de nada vale.
Nós que aceitamos o chamado de Deus e vivemos para agradar ao Senhor, temos a mente de Cristo em nós (1 Co 2:16). Temos que saber COMO AGRADAR A DEUS.
“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Gl 2:20)”
Um homem ou uma mulher que querem pregar a Palavra de Deus tem que se preparar pois o homem natural que não tem o Espírito de Cristo e que não quer viver pelo espírito não pode entender as coisas de Deus, pois para ele é insensatez, sendo que as coisas de Deus se discernem e são compreendidas espiritualmente e se aceitam pela fé e confiança (1 Co 2.13,14; Hb 11.1-3; 1 Co 1.21).
livro como entender a bíblia

 

email